mulher prostituta

A categoria é uma só, mas a divisão entre elas é distinta. Afinal, como aqui temos as acompanhantes de Brasília que tornou-se referência de qualidade e bons serviços, há um punhado de nomes que designam a profissão mais antiga da humanidade. Afinal, antes de saber fazer qualquer oficio dito regular, todo mundo já sabia transar. Durante a história da humanidade, naturalmente, algumas se destacaram mais que outras por diversos motivos. Vamos falar um pouco de cinco mulheres que fizeram desta profissão algo de destaque.

Jeanne-Antoinette Poisson - A Madame de Pompadour

Nascida em Versalles e uma das donas do Coração do Rei Luis XV a Madame de Pompadour foi uma famosa prostituta que lutou pela preferência do Rei e por isso quase matou sua concorrente usando magia negra e envenenamento. Fez tanto que a concorrente não resistiu e desistiu do Rei. Morreu em 1764 e muitos logram a ela o século de Luz na França.

Margaretha Zelle - A Mata Hari

A holandesa virou prostituta com objetivo de se afastar do marido alcoolatra e violento. Ingressou na vida, pois como uma mulher sem estudo e qualificações, não teria oportunidade de ter êxito na vida longe dos abusos do homem se não fosse pelo meio de vida da prostituição. Criava histórias mirabolantes sobre seu passado e andava praticamente nua. Essa prática tem semelhança de como acontece nas ruas de Amsterdan. Morreu acusada de espionagem, por um pelotão de fusilamento em 1917. Antes foi largando a vida aos poucos, mas sempre vivendo entre homens ricos e poderosos.

Teodora de Bizâncio

Pelo codinome, podemos ver que há uma história pra lá de velha. Ela viveu no século VI. Para largar a fome e a miséria, foi para a famosa Constantinopla para usar a extrema beleza a seu favor. Era uma empreendedora nata, já que aos 19 anos já era dona do seu próprio bordel. Com o tempo, ela largou a vida e se converteu, virando uma cristã temente a Deus. Apaixonou-se e casou com o Príncipe Justiano que virou Imperador, o que a fez virar Imperatriz. Ela, entretanto, militou em benefício das mulheres da vida com inúmeras leis que ajudavam estas mulheres e ainda extinguiu a escravidão sexual!

Victorine Meurent

Poderia ser uma história contemporânea, mas não é. Ela queria ser pintora e modelo, posando ainda jovem, por volta dos 16 anos. Mas, naturalmente, a necessidade acabou mudando os planos dela e a prostituição foi meio que a única saída para moça. Ela foi retratada em diversos quadros de Edouard Manet, que ficou louco por seus cabelos com coloração semelhante ao cobre. Ela, no convívio com Edouard, aprendeu a técnica e fez uma obra que teve boa notoriedade à época, que é "Um burguês de Nuremberg".

Maria do Egito - A egipiciana!

Viveu em Alexandria, pelos séculos IV e V e começou a se prostituir pelas ruas da cidade com apenas 12 anos, o que à época não soava tão absurdo. Sua vida mudou quando em peregrinação à Jerusalem, com objetivo de vender seus serviços, teve uma visão da Virgem Maria que dizia a encontrar do outro lado do Rio Jordão. Ela foi e o que se sabe é que viveu em solidão rezando até o fim dos seus dias.